Dúvidas Frequentes

Qual a diferença entre nutrição parenteral e nutrição enteral?

Na terapia nutricional, dietas para fins especiais são administradas através da boca, sonda naso enteral ou ostomias (estômago, intestinos), o que configura a chamada nutrição enteral (NE). Porém, quando a passagem do alimento pelo aparelho digestório não pode ser realizada, a terapia parenteral (TP/NP) apresenta-se como alternativa, utilizando a via intravenosa para administração do alimento em forma de solução especial parenteral.

Quais as condições de armazenamento e transporte necessárias?

Conforme a Portaria MS/SNVS n° 272 de 1998, que aprova o regulamento técnico para Terapia de Nutrição Parenteral, em seu anexo II, artigo 4.5.5, o armazenamento da nutrição parenteral deve ser entre 2 e 8°C, e seu transporte entre 2 e 20°C. O transporte não deve ultrapassar 12 horas e a nutrição parenteral deve estar protegida de intempéries e da incidência direta da luz solar. Portanto, a utilização de embalagens fotoproteroras são importantes para ajudar a garantir a qualidade da NP.

O que se deve observar antes da administração da NP?

É estabelecido na Portaria MS/SNVS n° 272/98 que na conferência do recebimento da NP deve ser realizada a inspeção observando a rotulagem, a integridade da embalagem e o aspecto da NP.

O rótulo deve conter o nome do paciente, nº do leito e registro hospitalar, data e hora da manipulação, composição, osmolaridade e volume total, velocidade de infusão, prazo de validade, nome do farmacêutico responsável e registro no órgão de classe.

A embalagem deve apresentar-se íntegra, sem furos, rachaduras ou vazamentos.

A NP deve apresentar-se sem partículas, precipitação, separação de fases ou alteração de cor. Caso a NP contenha lipídios, seu aspecto é leitoso. Sem lipídios, a solução é translúcida. Caso a NP contenha vitaminas, sua coloração é amarelada, caso não as contenha, é incolor.

Verificada alguma anormalidade, a NP não deve ser administrada. O farmacêutico responsável pela preparação deve ser contatado e as bolsas devolvidas à farmácia manipuladora.

A parte externa da bolsa de nutrição parenteral é "estéril"?

O lado externo da bolsa não é estéril. O interior da bolsa e a solução de NP permanecem estéreis mesmo após a retirada das condições controladas de manipulação, desde que a bolsa seja mantida íntegra e que o processo de administração seja asséptico. A parte externa entra em contato com as embalagens e é manuseada durante a administração. Apesar de ser limpa, esta parte não é mantida estéril após a retirada das condições controladas de manipulação. Por isso a importância do processo asséptico para administração, em especial com a desinfecção dos conectores.

Deve ser utilizado equipo fotossensível para a administração da nutrição parenteral?

Alguns componentes da nutrição parenteral podem ser degradados em alta porcentagem em períodos bem curtos quando expostos à luz. Isto ocorre com algumas vitaminas e com a emulsão lipídica, podendo formar peróxidos. No entanto, é necessário considerar a origem da luz, visto que apenas o componente ultravioleta tem se mostrado danoso. Recomenda-se, portanto, evitar exposição à luz solar direta ou proveniente de equipamentos de fototerapia através do uso de envoltórios protetores para as bolsas e equipos de Nutrição Parenteral. A necessidade de utilização do equipo para soluções fotossensíveis nos casos de nutrições para pacientes adultos também deve ser avaliada pelo serviço, pois o tempo de permanência do produto na luz do equipo é considerado bastante curto para degradação dos componentes. Orienta-se mesmo assim que seja evitado o contato com a luz natural, mesmo indireta.

Nas nutrições parenterais para neonatologia, aconselha-se a utilização do equipo para soluções fotossensíveis devido à longa permanência da solução ou suspensão no equipo pelo volume reduzido e à possibilidade de exposição às luzes de fototerapia.

A nutrição parenteral pode ser transferida para outro recipiente?

A transferência da NP para outro recipiente ocasiona abertura do sistema fechado, possibilitando contaminação do produto e resultando em descumprimento das boas práticas de administração. Conforme a portaria do Ministério da Saúde n° 272 de 1998, regulamento técnico para Terapia de Nutrição Parenteral, no artigo 5.6.3, a “NP é inviolável até o final de sua administração, não podendo ser transferida para outro tipo de recipiente”.

Pode ser utilizado acesso em Y para administração da nutrição parenteral?

A administração concomitante de outras substâncias na mesma via que a nutrição parenteral pode resultar em incompatibilidade química e levar à formação de precipitados ou separação de fases. Segundo a portaria do Ministério da Saúde n° 272 de 1998, que fixa o regulamento técnico para Terapia de Nutrição Parenteral, no artigo 5.6.5, “a utilização da via de acesso da NP deve ser exclusiva. A necessidade excepcional da sua utilização para administração de qualquer outra solução injetável só pode ser feita após aprovação formal da Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional (EMTN).”

O paciente para o qual estava prescrita a bolsa de Nutrição Parenteral não irá fazer uso da mesma. Posso reutilizá-la em outro paciente realizando apenas a troca do rótulo?

De acordo com a Portaria do Ministério da Saúde nº 272 de 1998, que fixa o regulamento técnico para a Terapia de Nutrição Parenteral, no artigo 5.2.2, “a prescrição da TNP deve contemplar o tipo e a quantidade dos nutrientes requeridos pelo paciente, de acordo com seu estado mórbido, estado nutricional e requerimentos nutricionais.” Portanto, a NP é uma formulação extemporânea individualizada e não pode ser transferida para outro paciente, mesmo realizando a troca do rótulo.

Qual o prazo de validade da bolsa de Nutrição Parenteral?

A bolsa de Nutrição Parenteral possui validade de aproximadamente 48 horas, pois, por se tratar de uma formulação extemporânea, o início do uso deve ser em até 24 horas após a preparação (conforme Portaria do Ministério da Saúde nº 272 de 1998, anexo II, artigo 2.10) e, somando-se ao tempo máximo de administração de uma bolsa de NP que é de 24h, totaliza-se 48 horas.

Como deve ser o descarte da bolsa de Nutrição Parenteral?

O descarte do conteúdo da bolsa de Nutrição Parenteral pode ser realizado na rede de esgoto, pois os componentes da mesma não causam danos às pessoas e ao ambiente. A embalagem primária deve ser descaracterizada, juntamente com o rótulo, antes de ser descartada em lixo comum.

A bolsa de Nutrição Parenteral caiu no chão. Ainda está viável para uso?

Após a queda, deve-se realizar uma inspeção visual na bolsa de NP, verificando se há presença de furos ou danificações na embalagem primária que possam expor o conteúdo estéril da bolsa ao ambiente. Caso a embalagem esteja intacta, realizar a higienização da bolsa.

Quais as ações a serem tomadas quando a bolsa de Nutrição Parenteral acabar antes do período prescrito?

Deve ser verificado se a bomba de calibração está devidamente calibrada; verificar se houve alguma reprogramação da bomba ao longo da infusão; verificar se ocorreu alguma parada na dieta para o paciente realizar exames, tomar banho, etc; verificar se está com vazamento.

Posso aquecer a bolsa de Nutrição Parenteral antes da administração no paciente?

A bolsa de Nutrição Parenteral deve chegar à temperatura ambiente de forma natural. Não devem ser utilizadas fontes de calor para aquecer a NP, pois o aumento brusco de temperatura pode acelerar a degradação de diversos componentes da NP e causar instabilidade da solução.

Após ter conectado o equipo na bolsa de Nutrição parenteral, posso colocar na geladeira?

A partir do momento que se rompe o lacre da bolsa de Nutrição Parenteral, é necessário iniciar a administração.  Caso não seja possível a instalação da bolsa no momento, esta não estará mais apta para uso e deverá ser descartada uma vez que houve a abertura do sistema fechado, possibilitando contaminação do produto e resultando em descumprimento das boas práticas de administração.

É permitido inserir medicamento ou qualquer outro componente dentro da bolsa de Nutrição Parenteral após pronta?

Segundo a portaria 272, a NPT é considerada inviolável, não cabendo, após a preparação, nenhuma outra adição de qualquer componente.